CONTABILIDADE ANALITICA PDF

.

Author:Zujas Megis
Country:Cayman Islands
Language:English (Spanish)
Genre:Education
Published (Last):14 May 2005
Pages:223
PDF File Size:2.93 Mb
ePub File Size:14.17 Mb
ISBN:999-3-39100-675-2
Downloads:15272
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Melkree



Produto 3 95 63 32 Produto 4 21 15 6 Total 78 38 Este mtodo parece ser o mais adequado dos trs estudados, j que considera no s o valor de mercado dos diferentes produtos, como tambm os diferentes processos produtivos a que cada produto submetido aps o ponto de separao dando origem a custos especficos variados.

Por outro lado, em situaes de produo em que ocorram diversos pontos de separao, poder tornar-se num mtodo bastante complicado. Critrios de valorimetria para a valorizao de subprodutos e resduos exemplo prtico Exemplo prtico 2: Considere os seguintes dados de uma determinada empresa, relativos a um determinado perodo.

Produto X 0 25 1 20 80 10 6 Subproduto Y 0 15 Exist. Inicial Quantidade Prod. Custo Conjunto Quantidade Vendida Preo de Venda Unitrio Calcule os resultados operacionais brutos e o valor das existncias finais, de acordo com os seguintes critrios: a Ao Subproduto atribudo um custo nulo; b Ao Subproduto atribudo um custo unitrio de 5 ; c Ao Subproduto atribudo um lucro nulo.

Como tal, o valor dos custos conjuntos a atribuir aos coprodutos inferior. Este tipo de decises deve ser tomado tendo em conta aquilo que se designa, para estes efeitos, por "custos relevantes" e "proveitos relevantes". Os custos relevantes so, neste caso, os custos especficos que se incorrem ao continuar o processo de transformao aps o ponto de separao. Os proveitos relevantes so, neste caso, os proveitos no auferidos por no escolher a outra alternativa, isto , a diferena entre os proveitos potenciais se se optar por continuar a processar aps o ponto de separao e os proveitos potenciais se se decidir vender os produtos no ponto de separao.

Repare-se que este tipo de decises no necessita da repartio prvia dos custos conjuntos, uma vez que estes no so relevantes em termos de custos incrementais. Neste caso, a deciso seria vender o produto 1 no ponto de separao e continuar a transformar o produto 2 aps o ponto de separao, para obter o produto 4.

A anlise destes produtos deve ser realizada numa dupla perspectiva: Controlo de custos; Determinao do custo industrial dos produtos. Na verdade, o critrio que est aqui subjacente o do Custo Nulo. No entanto, se a probabilidade da empresa vender os produtos defeituosos for elevada, devemos aplicar o critrio do Lucro Nulo. Desta forma, a conta de Fabricao ser creditada por contrapartida da conta de Resultados Analticos - Resultados Acidentais, no perodo em que ocorre.

Durante o ms de Outubro passado, fabricaram-se 1 peas, o que originou os seguintes custos: Matrias-primas Custos de Transformao TOTAL 2 1 3 sada da Fundio foram contadas 1 peas boas e 24 com defeito. Estas 24 peas so vendidas por um valor global de 4 Tendo em conta que, neste caso, o nmero de peas defeituosas considerado "normal", o tratamento contabilstico o seguinte: Custo de Produo Valor de venda dos defeituosos Custo de Produo das peas boas Custo unitrio 1 peas 3 4 3 3 Repare-se que neste caso est subjacente o critrio do lucro nulo na valorizao da produo defeituosa.

O valor da venda total dessas 55 peas de 10 Imagine que, das 55 peas com defeito, apenas 50 so consideradas como sendo normais, pelo que as restantes 5 so consideradas defeitos acidentais.

Os defeituosos acidentais so tratados como se fossem produtos sem defeito, simplesmente, so considerados Resultados acidentais no perodo em que ocorrem. So consideradas as quantidades de bens e servios efectivamente consumidas, valorizadas aos preos de aquisio efectivos. Contudo, verificam-se algumas excepes, nomeadamente, as referentes ao apuramento do custo da mo-de-obra, uma vez que os encargos sociais so calculados atravs de uma taxa terica.

O mesmo sucede com os gastos gerais de fabrico quando estes so imputados atravs de taxas tericas exemplo: amortizaes. Sistema de Custeio Terico Os custos tericos so fixados priori para a valorizao das prestaes de bens e servios matrias, actividade das seces e, consequentemente, para a valorizao da produo e existncias de produtos acabados e em vias de fabrico.

Os custos tericos podem constituir, na prtica, a nica possibilidade de conhecimento do custo industrial por produtos, como por exemplo, nas empresas de metalomecnica fabrico em simultneo de limas, grosas, torneiras, ferragens para a construo civil, artigos de escritrio, etc. Assim sendo, no ser necessrio aguardar pelo apuramento dos custos unitrios reais para se poder valorizar os consumos de matrias ocorridas no perodo e as unidades de obra ou de imputao das seces auxiliares, dado que os reembolsos so determinados a custos tericos; Permitir o clculo e posterior anlise dos desvios verificados entre os custos reais e tericos.

Desvios: Resultam da diferena entre os custos reais e os respectivos custos tericos. Por outras palavras, so os custos que a empresa obteria se trabalhasse em condies normais ou ideais de explorao. Os desvios sero devidos a variaes de produtividade e a erros de previso Preos de Mercado: so custos equivalentes aos preos que os bens e servios tm no mercado. Custos Histricos verificados em anos anteriores Custos verificados em empresas similares etc.

O processo produtivo realiza as suas operaes sem nenhuma margem para tempos mortos ou interrupes, entre os quais: avarias de mquinas, operaes de manuteno, absentismo laboral, perdas por demora de materiais, operando, portanto, em condies ideais. O Custo Padro calculado com base nestas condies um custo mnimo que s ser possvel atingir nas condies produtivas mais eficientes e ideais.

Ao serem praticamente inatingveis deixam de ser um objectivo realista. Condies Normais ou Alcanveis Condies relativas ao mximo nvel em relao ao qual se pode operar eficientemente: incorporam no seu clculo as demoras que costumam produzir-se de forma inevitvel. Ou seja, representam o nvel de actividade segundo o qual uma empresa pode operar eficientemente de forma realista.

Os Custos Padro calculados com base nestas condies so alcanveis, pelo que devem ser estes os utilizados num Sistema de Custos Padro. Utilidade do Sistema de Custos Padro: Valorizao dos stocks de produtos acabados e em curso de fabrico; Determinao dos preos de venda e controlo da rendibilidade dos produtos; Controlo dos custos industriais e no industriais promovendo a eficincia de todas as operaes levadas a cabo na empresa para melhorar os resultados; Determinao do clculo e anlise dos desvios apurando as responsabilidades dos mesmos ; Possibilidade de obteno de produtos de melhor qualidade ao custo mais baixo; Determinao dos resultados; Podem ser actualizados; Empresas de produo muito diversificada.

Actualizao dos Custos Padro: Podero ser actualizados sempre que se justifique a sua alterao. Normalmente, so revistos trimestralmente se houver alteraes significativas nos seus componentes. Deste modo, o Sistema de Custos Padro est sujeito a contnuas revises para que sirva como instrumento vlido de comparao com os dados histricos ou reais.

Matrias Primas 2. Mo-de-Obra Directa 3. Gastos Gerais de Fabrico 4. Custo Padro Industrial Em sntese, os Custos Padro so custos tericos especiais, sucessivamente aperfeioados luz da experincia, elaborados em condies de perfeita normalidade, baseados em clculos 35 Contabilidade Analtica rigorosos, depois de um estudo completo do processo produtivo. Assim, um Sistema de Custos Padro pressupe que seja acompanhado. Por cada unidade de produto, a quantidade padro de materiais de 20 kgs da matria y, sendo o preo padro de cada kg, No perodo passado, a empresa fabricou 1 unidades do produto, consumindo para isso kgs da matria y ao preo de 31 cada kg.

Por cada unidade de produto, a quantidade de horas padro de 30 minutos, sendo o preo padro de cada hora, No perodo passado, a empresa fabricou 1 unidades do produto, trabalhando para isso horas.

O custo real de cada hora foi de Os Custos Padro permitem gesto conhecer, mesmo antes de iniciar o processo produtivo, os custos em que deve incorrer, de modo a que as ineficincias sejam descobertas na sua fonte de origem; 2. A adopo dos Custos Padro permite apurar se o montante de custos incorridos no perodo ou no o que devia ter ocorrido; 3. O Sistema de Custos Padro permite a avaliao rpida e fcil dos stocks de produtos acabados e em curso, pois estes so avaliados a Custos Padro; 5.

Facilitam a tomada de decises; 6. Motivao; 7. Maior estabilidade que os custos efectivos; 8. Permitem o controlo por excepo, ou seja, a anlise de desvios significativos; 9. Facilitam o planeamento no processo oramental; Simplificam os custos administrativos; Consciencializao da importncia dos custos. Limitaes dos Custos Padro: 1. Baseiam-se em estimativas; 2. Exigem revises peridicas; 3. Os padres podem ser demasiado exigentes ou demasiado fceis; 4. S til em ambientes onde a tecnologia estvel.

Para efeitos de valorimetria das existncias de produtos acabados e em curso de fabrico, impe-se o ajustamento dos respectivos gastos no final do perodo, em funo dos desvios apurados na contabilidade analtica. De modo semelhante, a rubrica do CIPV tambm deve ser corrigida na parte correspondente. O melhor critrio para proceder a tal repartio dos desvios assenta na proporcionalidade dos respectivos gastos incorporados em cada um dos tipos de existncias PA, PVF e CIPV , pressupondo que vivel a individualizao das correspondentes naturezas do custo industrial.

Os principais tipos de planos so: planos a longo prazo planos estratgicos ; planos a mdio prazo, planos anuais e mensais. Plano Estratgico.

BURGMULLER BALLADE PDF

A Contabilidade Analítica: Âmbito, Objectivos e Características

.

APPLIED PARTIAL DIFFERENTIAL EQUATIONS HABERMAN 5TH EDITION PDF

Quando se deve recorrer à contabilidade analítica?

.

Related Articles